Artigos
Entrevistas
Estudos e comentários
Opiniões
Pesquisa
Poemas
Mapa do site

A escolhida - Banho turco - Can ção para lembrar de mim - Da Cartilha para os livros de gente grande - De primeira viagem - Fotografias - O álbum - Poderia ter acontecido em Dublin

Quasímodo perdeu a ternura - O tempo perdido - Travessia - Uma mesa perto da arrebentação

SHOPPING dos MILAGRES

(Rua Bilzar, s. n. - Outra Esperança - CEP 2511 20 04 - Rep. de Pindorama)

Sônia van Dijck

Deniz Pereira

Igreja barroca - porta

México

A pequena cidade vivia agitada nos últimos dias. Retirava-se a pesada porta lateral da igreja de N. S. dos Milagres, que, por descuido de um grupo de esfarrapados, havia sido atingida pela chama da fogueira que fizeram para se aquecer. Isso soaria muito estranho ao vigário, pois aquela meia dúzia de esfarrapados era novata na cidade e havia preferido passar a noite no pequeno jardim ao lado da igreja, quando, no albergue da paróquia, teriam uma sopa quentinha e um colchão. Se não fosse pelo zelador, que costumava, passear pela praça, em noites de lua cheia, recitando o rosário, o fogo poderia ter-se alastrado e até destruído a igreja.
- Ei! o que vocês fizeram? corre gente! pega água aí! acudam! a igreja vai queimar!
Quando o vigário atravessou a rua, de pijama, ainda viu os esfarrapados usando velhos cobertores na luta contra as últimas chamas.
O zelador estava nervoso, mas o estrago não havia sido tão grave. A porta precisaria passar por uma restauração ou talvez até devesse ser substituída.
- Quem são vocês? Por que estão aqui e não no albergue?
- A gente só veio pagar promessa. A gente só está de passagem, seu padre.
O vereador dono da única serraria da cidade estacionou diante da igreja.
- Que aconteceu, padre Olavo? Ia passando e vi toda essa gente aqui... Que horror! como isso aconteceu? Faço questão, padre Olavo, minha empresa ficará encarregada do conserto, e a igreja terá sua porta, e ninguém nem vai se lembrar do acontecido. Pela manhã, vou mandar retirar esta e trazer uma porta provisória.
Os esfarrapados não estiveram na missa. O vigário, durante o sermão, narrou o acontecido e exaltou as qualidades do doutor Luís, que por felicidade ia passando bem na hora do sinistro. Lá fora, os esfarrapados da noite, tinham ganho umas vestes melhores (talvez, por caridade de doutor Luís, pensou o padre), e esperavam a missa terminar, para começar o trabalho de remoção da pesada porta. Vagabundos à noite, amanheceram empregados da serraria, como penitência, explicou o doutor Luís na sacristia, pedindo que o padre aprovasse sua idéia. E padre Olavo constatou que estava diante de um homem piedoso, a quem se deveria relevar as visitas ao cabaré de Rosinha dos Cravos, pois era de onde vinha na noite anterior, conforme as beatas cochicharam quando ouviram o elogio a suas virtudes.

Anjo -Aleijadinho

MG-Brasil

Foram 2 dias de trabalho para remover a porta secular. Padre Olavo estava inquieto, pois entendia que a segurança da igreja estaria ameaçada, até que a porta provisória fosse instalada.
Mas, padre Olavo achou a porta provisória nada segura, ainda mais naquela primeira noite quando o zelador, morador do quartinho dos fundos da igreja, e que, de vez em quando, fazia pequenos serviços na fazenda de doutor Luís, iria dormir por lá, para, logo cedo, fazer o trabalho de capação dos galos. Não disse nada ao doutor Luís, porque pouco entendia de capação e pensou que a lua entrando em minguante era mesmo a ocasião de deixar os galináceos destituídos de suas prerrogativas.

Nova comoção ao amanhecer. Desta vez foi o sacristão que saiu aos berros em direção à casa do vigário: a porta provisória tinha sido arrombada e o cofre com o dinheiro das esmolas para o albergue e as jóias de Nossa Senhora, a espada de Santa Bárbara e as coroas de mais meia dúzia de santinhas, além do terço de brilhantes de Santo Antônio (aquele que as moças solteiras tocavam em fervorosa prece era mesmo de vidro) tinham sumido.
- Mas, também, padre Olavo, deixar um cofre em cima do arcaz da sacristia!...
- Isso foi quando tivemos que consertar a infiltração daquela goteira no inverno passado. Ficou ali para ser recolocado preso à parede. Mas, sabe como é: faltou dinheiro para pagar aos operários e terminar o serviço da parede. Agora, que tínhamos um dinheirinho das esmolas, e eu estava pensando em completar o serviço, acontece uma coisa dessas. E o caso da porta! se não fosse o senhor, doutor Luís, não sei como ficaria a situação. Nossa igreja é pobre, porque nossa comunidade é pobre.

Oratório de parede (séc. XIX)

São Paulo - Brasil

- Mas, e as jóias de Nossa Senhora, padre Olavo? devem valer uma fortuna.
- Incalculável, doutor. Principalmente, porque não podem ser vendidas. São o tesouro de Nossa Senhora. Em coisa sagrada não se toca.
- E agora, padre, foram-se as jóias – disse o sacristão, saindo para receber o delegado, que atravessava o pequeno jardim.
Padre Olavo, confortado pelas promessas de todas as providências cabíveis, proferidas por doutor Luís, até pelo fato de o delegado ser seu compadre, podia garantir que tudo seria esclarecido.
E as beatas atônitas e os membros da Congregação dos Milagres, que, revoltados, bradavam que aquilo era uma afronta a Nossa Senhora, comoveram-se diante de tanta seriedade de doutor Luís.
O delegado avisou que voltaria com uns meganhas e mandaria buscar um perito na cidade vizinha, mas só poderia começar o trabalho depois da missa. Sujeito respeitador da religião dos outros estava ali, ainda que andasse desencaminhado da lei de Deus, pensou o padre, lembrando umas histórias do que se passava na cadeia.
O Prefeito e o Presidente da Câmara, tirados da cama pelo falatório e pela gritaria da rua, apareceram, sonados, solidários e ficaram para a missa. Lamentaram os tempos difíceis de contenção de despesas, quando o padre falou das dificuldades que o albergue iria enfrentar.
O vigário, coitado, mal conseguiu celebrar a missa das seis.
Como não se poderia recolocar a porta antiga que estava sendo restaurada, até que a perícia fosse feita e a investigação concluída, doutor Luís explicou que mandaria os esfarrapados embora, pois não valia a pena ficar lhes pagando sem fazer nada, e pediu que o padre desse a penitência por cumprida.

Comunicar tudo ao Bispo, procurar outro zelador, pois Crispim, no fim da tarde, passou na casa paroquial para avisar que doutor Luís lhe oferecera trabalho como zelador lá na fazenda, arrumar uma maleta para ir à Diocese, explicar pessoalmente ao Bispo o acontecido e o rumo das investigações, tudo isso ocupou muito padre Olavo.
Quando voltou, recebeu a triste notícia: Crispim fora picado de cobra, tendo tido morte rápida.
- E ele prometia ser um ótimo zelador, padre Olavo. Foi-se um sujeito trabalhador.
- E nem estava aqui para lhe encomendar o corpo, pobrezinho, que Deus o tenha. A missa das seis de amanhã será na intenção de sua alma.
- Estarei aqui. Crispim era um bom homem – asseverou doutor Luís.
Padre Olavo resolveu reunir a comunidade, no domingo, depois da missa, para avaliar o processo de investigação e explicar a situação de penúria que começava a atingir o albergue.
A sala da casa paroquial estava cheia. O Prefeito, acometido de súbito mal-estar, não pôde comparecer. O Presidente da Câmara estava na fazenda, cuidando da vacina do gado. Doutor Luís propôs que começassem a apresentar sugestões, visto que o caso era do amplo conhecimento de todos.

- Eu mesmo tenho uma sugestão inicial. Visto o grande prejuízo sofrido pela nossa igreja e considerando a premência de recursos para o albergue, nesse tempo em que os poderes públicos passam por uma séria crise de contenção de despesas, proponho que se realize um leilão beneficente. Cada um contribuirá com o que puder.
- Mas, doutor, a gente é pobre. E quem vai arrematar as coisas do leilão? – falou um rapaz na segunda fila.
- Cada um faz o lance que puder. Eu já me comprometo em doar uma cabeça de gado e, como farei grandes lances, tudo indica que eu mesmo arrematarei a prenda, de modo não só a dar o exemplo como também para não caracterizar minha colaboração como uma simples esmola.
A esposa de doutor Luís, sentada ao lado do padre e invejada em sua posição pelas beatas mais antigas, pensou:
- Esperto, meu marido. Aquelas jóias valem um rebanho inteiro.
Um homem magrinho sentado no fundo da sala levantou a mão, pedindo a palavra:
- O senhor que me desculpe, seu padre. Mas, o senhor não acha mais simples que se faça mesmo uma boa investigação, de modo a prender os ladrões e recuperar o dinheiro e o tesouro de Nossa Senhora? Isso de leilão está parecendo muito complicado, porque a gente não tem muito, e poucos podem dar alguma coisa. Fazer lance nem pensar, porque a gente tem que cuidar do pão das crianças.
Todos falavam, e o alvoroço fez padre Olavo se levantar para pedir ordem na troca de idéias.
- Quem é esse sujeitinho? – pensou doutor Luís. Ou esse cara está sabendo de alguma coisa, podendo ter visto os rapazes trabalhando naquela noite, ou é mesmo um idiota e não merece que me preocupe com ele. Mas, pode ser bicho teimoso e insistir nessa idéia imbecil.
- Meus amigos, – falou doutor Luís, depois que as mulheres deixaram de repetir “ele está certo, seu João das laranjas está certo” – o cidadão ali falou com acerto. Também já fui pobre e sei o que é labutar para levar comida pra casa – e, nesse momento, levantou a mão direita, para mostrar a falta de um dedo, perdido em seus tempos de madeireiro. - Sei o que é ficar na rua da amargura, esperando o seguro-acidente e, depois, uma miséria de aposentadoria por invalidez. Batalhei muito para sair do buraco. O que me ajudou foram os amigos, ou seja, a verdadeira riqueza que um homem acumula e que não lhe falta nas horas difíceis.
A comunidade escutava atenta e comovida.
- Vamos fazer o seguinte: criar uma comissão para acompanhar as investigações e exigir do delegado que nos matenha informados das providências para caçar esses amaldiçoados que não respeitam sequer Nossa Senhora. Apesar de minhas tantas ocupações na empresa, que tanto progresso tem trazido a essa comunidade, gerando emprego e receita para o município, eu me disponho a presidir a comissão, que também será integrada por minha esposa e mais algumas senhoras, que possam dispor de algum tempo para trabalho tão cuidadoso, e mais o amigo que fez a acertada ponderação. Lamentavelmente, terei que viajar amanhã, para resolver negócios. Na minha volta, teremos a primeira reunião da comissão, que poderá ser lá em casa, uma vez que minha esposa estará participando, se os outros não se importarem, é claro.
A esposa do doutor Luís, diante de tanta dedicação de seu marido, foi às lágrimas, no que foi acompanhada por algumas senhoras, enquanto a sala paroquial explodia em palmas e “muito bem”. Doutor Luís aproximou-se de seu João das laranjas:
- O amigo aceitaria tomar uma branquinha, depois que a gente sair daqui?
Seu João sentiu a mulher lhe beliscar e ouviu baixinho:
- Vai, homem. Você vai trabalhar para ajudar Nossa Senhora.

Cruzeiro do Mosteiro de Santo Antônio João Pessoa - PB- Brasil

Padre Olavo, semanas depois, foi chamado pelo Bispo, para saber que iria exercer seu ministério em outra diocese, pois Dom Fiel estava precisando de um pastor tanto dedicado quanto experiente.
Por coincidência, no mesmo dia em que o padre deixava a cidade, o delegado recebia a nomeação para um alto posto na capital. Seu substituto demorou muito tempo para entender que o roubo acontecido naquela igreja tão pobre envolvia uma fortuna; de qualquer modo, a coisa já tinha acontecido, a investigação estava parada, e, agora, ele tinha outros casos para cuidar.
João das laranjas, um ano depois, inaugurou um pequeno armazém, que, em poucos anos, se transformou em uma rede de supermercados na região, e sua mulher era vista pelas senhoras da sociedade, como a melhor amiga da esposa de doutor Luís (isso quando o casal aparecia uns dois meses antes da eleição, pois os compromissos do deputado eram inúmeros).

A cidade cresceu. Apesar do empenho de doutor Luís, os ladrões não foram presos e nem recuperado o tesouro. Por mais que o prefeito, antes de se tornar senador, tivesse visitado o Bispo, na companhia de doutor Luís, a cidade ficou sem padre por alguns anos. As antigas beatas velhinhas ou à beira da morte descuidaram-se da igreja, e, antes que não tivesse mais qualquer benefício para a diocese, doutor Luís ofereceu um bom dinheiro para as obras de caridade do Bispo, prometendo que o nome do shopping honraria a memória da comunidade. Comprometeu-se em sensibilizar os fazendeiros da região, para que contribuíssem para a construção de uma igreja de arquitetura moderna, tal como a cidade estava merecendo. Talvez com uns dois ou três leilões de gado, tivessem dinheiro mais que suficiente para erguer a futura matriz.
Depois de ter ido buscar a pedra do altar, o Bispo voltou para a bênção do Shopping dos Milagres. A matriz estava em construção.
Mas, para padre Olavo as notícias não podiam mais ser contadas; finara-se naquele povoado distante. Dizem que em fumos de santidade.

25 nov. 2004

Anjo -Aleijadinho

MG - Brasil

Publicado in:

Correio das artes, João Pessoa, ano 54, n. 91, 11-12 nov. 2004, p. 6-7.Suplemento literário de A União.

© Copyright by Sônia van Dijck e Deniz Pereira, 2004

LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998

Midi: Bach

A escolhida - Banho turco - Canção para lembrar de mim - Da Cartilha para os livros de gente grande - De primeira viagem - Fotografias - O álbum - Poderia ter acontecido em Dublin -

Quasímodo perdeu a ternura - O tempo perdido - Travessia - Uma mesa perto da arrebentação

Artigos
Entrevistas
Estudos e comentários
Opiniões
Pesquisa
Poemas
x