HOME

HERMILO BORBA FILHO - 90 anos- COURBET e HERMILO - .HERMILO E ARIANO . - OS AMBULANTES DE DEUS: E LA NAVE VÀ... -O MARAVILHOSO EM HBF- .O POPULAR COMO POÉTICA - PRESENÇA DO GROTESCO NO TEATRO HERMILIANO -.

UM CAVALHEIRO QUE NÂO CONHECEU A DECADÊNCIA.. NOTÍCIAS - FOTOS

TEXTOS DE HERMILO BORBA FILHO- POEMAS PARA HERMILO

Arquivo Hermilo Borba Filho (Recife - PE)

 

 

Programa das comemorações dos 90 anos

* Engenho Verde - Palmares (PE - Brasil), 8 de julho de 1917 - Recife (PE - Brasil), 2 de junho de 1976

- P o e m a s__ para __H e r m i l o

Marcus Accioly

Foto: Céline Ebersviller

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POEMETO DO TECELÃO
ou A CANÇÃO TECIDA

(a Hermilo Borba Filho,
também tecelão de palavras)

Marcus Accioly

Tece, tece, tece, tece,
Bem tecida essa canção,
Um a um, fio por fio,
Como faz o tecelão
Que fabrica o seu tecido
De cambraia-de-algodão.
Prende os fios coloridos
No labor da tua mão,
Tece, tece, tece, tece,
Bem tecida essa canção,
Com carinho, com cuidado,
Com silêncio e solidão.
Tece, tece, que tecendo
Cresce, cresce a fiação,
Urde as formas das estampas,
Firma as cores do padrão,
Roda a roda, tece, tece,
Bem tecida essa canção.
Noite e noite, sempre e sempre,
Nunca inútil, nunca em vão,
Dia a dia te aproximas
Mais e mais da perfeição.
Não te falte uma esperança
Nem te falte uma razão
Que tecida por ti mesmo
Faz nascer essa canção.
Tece, tece, muito e muito,
Por dever e obrigação,
(Pois tecer é teu ofício
De poeta e tecelão).
Tece como se tecesses
Tua morte ou redenção,
Com amor e sacrifício,
Rapidez e lentidão,
Muito embora ninguém saiba
Que teceste esta canção
Com os fios do teu pranto
No tear do coração.

Recife, 9-7-1967

Em comemoração do primeiro ano do Teatro Popular do Nordeste (TPN)
Publicado in: Diário de Pernambuco, Recife, 16 jul. 1967

 

HERMILO ENCANTADO

para Leda, a companheira

Juhareiz Correya

na hora H, te encantaste, Hermilo.
a tua hora, sem linhas, Estados, convenções, estratégias,
dor no mapa da vitória, sorte dos aliados:
a tua hora, sem homens, como em nenhum tempo.
na hora-Hermilo, teu nome expira
e o mundo se apequena mais que Palmares
- universo maldito
como a tua boca vomitando tanta vida.
não é mais um, que se vai ou passa,
porque não há mais conta para esta desgraça:
é você quem some, Hermilo,
é você quem conta
nesta hora sacana sem respeito à ereção do teu nome,
contágio do Homem.
na hora-Hermilo, sagrada por ti,
desaparecer por encanto desnorteia a gente
até uma oração que te deixaria puto:
- a vida é uma merda.
que será de Gogueia, Mucurana, Zumba-sem-dentes,
Bole-se-tempo, Veado-Podre e Fanhim?
que será dos fodidos, das putas, do eterno Pirangi,
que será de tudo, de todos, que será de mim?
na hora-H, ninguém te elegia, Hermilo,
- teu sangue vivo bulindo
bombeia o coração de esperança,
tu dando pinotes,
passando a mão na bunda da Morte,
cagando pra Glória, sonho de todo mundo.
na hora-Hermilo, a gente só se conforma
porque sem medo, derrota, mentira e covardia
teus assombros vitais
anularam as Bestas safadas
e as Feras dos dias.

Publicado in: CORREYA, Juhareiz. Americanto Amar América. Recife: Nordestal, 1982, p. 49

 

Juhareiz Correya

Foto: Sônia van Dijck

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ronaldo Monte

Foto: Mano de Carvalho

AGÁ

(de um sonho com Hermilo Borba Filho)

Ronaldo Monte

O morto veio vivo
e me abraçou.
Depois, guardando a mínima distância
que separa os vivos dos mortos,
vi que no lugar do seu coração
ainda teimava o fogo
que o mantinha vivo.

Por isso me queimava.

jun. 1976

© Copyright dos poemas by Marcus Accioly, Juhareiz Correya e Ronaldo Monte

HERMILO BORBA FILHO - 90 anos- COURBET e HERMILO - .HERMILO E ARIANO . - OS AMBULANTES DE DEUS: E LA NAVE VÀ... -O MARAVILHOSO EM HBF-.O POPULAR COMO POÉTICA -PRESENÇA DO GROTESCO NO TEATRO HERMILIANO

-UM CAVALHEIRO QUE NÂO CONHECEU A DECADÊNCIA.. NOTÍCIAS - FOTOS

TEXTOS DE HERMILO BORBA FILHO- POEMAS PARA HERMILO

Programa das comemorações dos 90 anos

ESTE ESPAÇO ESTARÁ SEMPRE EM ATUALIZAÇÃO

Criação da marca comemorativa:

DG DESIGN GRÁFICO
Dulce Lôbo e Germana Freire

Criação da página Sônia van Dijck

Mapa do site