Contos
Entrevistas
Estudos e comentários
Opiniões
Pesquisa
Poemas
HOME
 
A (in)sustentável penitência do amor
Arquivos: reencontro do tempo
"Cântico negro"
Com a palavra os criadores
O Boquirroto, irmão do Boca do Inferno
Os Mindlin, a Antunes e a biblioteca
Pacto revelado
Panthera ferida de morte
Tipógrafo sonhador e editor cúmplice

 

Receita da comida de Xangô e de Yansã: acarajé

300 gr de feijão fradinho
1 cebola grande
250 de camarões pequenos ferventados *
3 xícaras de azeite de dendê
Sal.
* Para ferventar os camarões, coloque-os em uma panela, sem água, acrescente sal conforme o gosto, deixe ferver (mexendo de vez em quando). Quando estiverem corados, deixe secar a água que os camarões expulsaram. Tire-os do fogo.
Bote o feijão de molho na véspera (tem quem recomende 4 horas de molho). No dia seguinte, tire a pele (esfregando vigorosamente com as mãos), bata no processador ou na máquina para moer o mais fino possível, juntamente com a cebola, o sal e os camarões cozidos. Depois de bem moído, passe no liquidificador ou bata com uma colher de pau até formar uma massa lisa e firme com incorporação de ar.

Coloque em uma frigideira o azeite de dendê. Quando estiver fervendo, tire uma colher de sopa da massa (melhor usar uma colher de pau) e ponha no azeite fervente, para fritar. Vire de um lado para o outro. Quando dourar, retire com uma espumadeira e coloque sobre papel absorvente.
Sirva quente, com pimenta e/ou molho de camarões pequenos e/ou vatapá.

Depois, se quiser, é só consultar o Ifá (jogo de búzios). Desejo que o oráculo lhe seja positivo.

Para Vilani, a paraibana mais baiana que conheço.

Patrimônio cultural no tabuleiro da baiana

Publicado in:

Arena de idéias, Maceió, 1 jan. 2005, p. 11. Suplemento de O jornal.

Correio das artes, João Pessoa, ano 54, n. 93, 8-9 jan. 2005, p. 7.

Desenhos: Geraldo Profeta Lima

Midi: Angola (execução Mestre Boneco)

Contos
Entrevistas
Estudos e comentários
Opiniões
Pesquisa
Poemas
HOME